Coronavírus: Ministério e Secretaria de Saúde destacam que o Brasil está preparado

Em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020, autoridades de Saúde estaduais e federais fizeram um panorama sobre o coronavírus no Brasil. Nesse prime

Compartilhar artigo

Em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020, autoridades de Saúde estaduais e federais fizeram um panorama sobre o coronavírus no Brasil. Nesse primeiro momento, David Uip, presidente do Centro de Contingência de Coronavírus do Estado de São Paulo, foi taxativo: os profissionais de saúde brasileiros estão preparados e estão lidando com um tipo de dinâmica conhecida. “Trata-se de uma doença viral que, como tantas outras, vai se manifestar, mas a grande maioria dos infectados será pouco sintomática. Outras terão lesões mínimas e um grupo ainda menor necessitará de serviço de terapia intensiva”, garantiu.

De acordo com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o fato de o primeiro caso ter sido confirmado em São Paulo dá um fôlego a mais no combate à doença pelo fato de o Estado ser um dos mais preparados do País. “O momento é de reforçar condutas, pois nosso sistema de enfrentamento tem funcionado de forma tecnicamente correta e todas as equipes iniciaram trabalho de identificação, mapeamento e testes. Lamentamos que o primeiro caso seja em São Paulo, mas, por outro lado, sabíamos que a cidade e o Estado teriam uma resposta mais contundente. Importante ressaltar que as medidas estão sendo tomadas em conjunto por governo federal, estados e municípios, pois é assim que se configura nosso sistema público de saúde”, explicou. 

O ministro informou que a campanha nacional contra a gripe será antecipada em 23 dias para deixar mais pessoas protegidas contra as cepas de influenza que normalmente já circulam, o que vai auxiliar, e muito, os profissionais de saúde e a própria população.  A campanha terá início no dia 23 de março de 2020. “A vacina é um instrumento importante para diminuir a espiral de epidemia desse e de outros vírus que podem ocorrer”, destacou Mandetta. De acordo com o governo do Estado, 85 casos suspeitos estão sendo monitorados e seguindo protocolos comprovadamente eficazes: pessoas com febre e coriza são assistidas e passam por exames durante 14 dias, ficando de repouso em casa. “Não existe fórmula infalível, mas para doenças desse tipo, em que a contaminação é por gotículas, a permanência em casa já tem eficácia. Hospitalizar qualquer caso não é eficaz para o sistema”, esclareceu o ministro da Saúde.  

De acordo com o secretário Estadual de Saúde, José Henrique Germann, o que deve determinar a ida do paciente suspeito para uma unidade de saúde não é apenas a suspeita da doença. “O que determina a hospitalização não é a presença do vírus, mas, sim, a condição clínica. O isolamento pode ser feito em casa, com bons resultados”, destacou. 

Em relação a uma expectativa sobre vacina contra o coronavírus, David Uip explicou que há inúmeras iniciativas mundiais, mas que a efetivação de um imunizante ainda deverá levar meses.

Sintomas
Os sintomas do COVID-19 são febre, dificuldade para respirar, tosse ou coriza e é preciso observar outros aspectos epidemiológicos, como histórico de viagem em área com circulação do vírus ou mesmo contato próximo a algum caso suspeito ou confirmado laboratorialmente para a doença. “É imprescindível que, ao apresentar os sintomas as pessoas procurem um serviço de saúde mais próximo, como fezo paciente do Einstein. A rede de saúde de SP está preparada e alerta. Prova disso é a rápida resposta e diagnóstico feito pelo Einstein e pelo Lutz, neste primeiro caso”, destacou o Secretário Germann.  

O primeiro caso de COVID-19 é de um residente na Capital e esteve, em fevereiro, na Itália. Retornou ao Brasil em 21 de fevereiro e apresentou sintomas suspeitos, como tosse, coriza e febre, compatíveis com a suspeita de COVID-19. Procurou o Hospital Israelita Albert Einstein, que deu a confirmação oficial para a doença na terça-feira (25). 

Seguindo o fluxo oficial definido pelo Ministério da Saúde, o exame foi enviado para contraprova no Instituto Adolfo Lutz, laboratório de referência nacional para análise de amostras casos suspeitos. O homem está em isolamento domiciliar, estável. 

 

Por Eleni Trindade, com informações Secretaria de Saúde do Estado

 

Artigos Relacionados...

Curta nossa página

Siga nas mídias sociais

Mais recentes

Receba conteúdo exclusivo

Assine nossa newsletter

Prometemos nunca enviar spam.

Rolar para cima