Pesquisa Covid-19 SindHosp – Fase 18

Compartilhar artigo

Faixa etária predominante nas UTIs Covid é de pacientes com mais de 70 anos

Pesquisa de número 18 realizada pelo SindHosp- Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo apurou que 60% dos pacientes internados em UTIs da rede privada de hospitais estão na faixa etária acima dos 70 anos. Também na internação em leitos clínicos para Covid 52% dos pacientes têm mais de 70 anos.

 

Faixa etária mais frequente das pessoas internadas em UTI Covid

 

https://ci3.googleusercontent.com/proxy/OeYROkFF0pm-BuS1PfmtG3ddEPzTaMypPzPF0J0742lfHXRWKSDt8pdjzMYyL6s-l2uWOoOeghVx4ZpQvoNDMv6O6e9R0wpEr-KNKPd2lq99oR7Nk7WVvxSTMQ=s0-d-e1-ft#https://files.workr.com.br/ViewImage.aspx?image=WLRxNT3MKOPeJftCUtenxQ==

 

O levantamento foi feito no período de 12 a 17 de agosto, com 60 hospitais privados paulistas, sendo 27% da capital e 73% do interior e que somam 2.470 leitos de UTI e 4.762 leitos clínicos. Destes são 1094 leitos clínicos destinados a pacientes Covid e 707 para UTI Covid.

Para o médico Francisco Balestrin, presidente do SindHosp, a volta dos idosos aos hospitais é preocupante e pode estar relacionada ao fato de os mais idosos terem tomado a vacina há mais tempo e à queda da imunidade. “ “ Os estudos sobre a 3ª dose da vacina são muito importantes para avaliar os efeitos do tempo sobre a imunidade”, avalia.

O médico observa ainda que os idosos imunizados podem ter voltado a ter uma vida normal sem os devidos cuidados de saúde: máscara, lavagem de mãos e distanciamento social.

Ocupação de leitos UTI Covid

Neste levantamento, 71% dos hospitais entrevistados estão com taxa de ocupação de leitos de UTI entre 51% e 70%. Na pesquisa anterior de número 17 (período de 26/7 a 1/8) eram 42% dos hospitais que registravam ocupação de 51% a 70%. A ocupação de leitos UTI para Covid acima de 80% manteve-se inalterada: 2% dos hospitais informam ocupação de UTI Covid acima de 80%.

 

Taxa de ocupação de leitos UTI Covid

https://ci3.googleusercontent.com/proxy/Pj9-0YB8kfe97E-eQaBfidTltwI2J546q-U9FfFb-gsWGYEtwRnhAgaiZwgOiHig0jp4XQR7vm5A_qDZGTH-E1DnKkgYbxvkFZ-YJW9HJB5zob0EHh893jTyiA=s0-d-e1-ft#https://files.workr.com.br/ViewImage.aspx?image=mPtljsmMGzJryRUjtYLfPA==

 

Maior problema é a falta de profissionais

Metade (50%) dos hospitais aponta como maior problema no enfrentamento à pandemia o afastamento de colaboradores por problemas de saúde; 39% apontam a falta de outros profissionais de saúde e 11% a falta de médicos.

Questionados se o hospital tem encontrado problema na reposição de funcionários, 62% informam que sim.

 

Pacientes não Covid

Questionados se existe uma fila de paciente não Covid por conta da demanda reprimida, 55% responderam que sim e 45% que não. E 93% informam que o período de espera é de 15 dias para realizar um procedimento no hospital. Ao mesmo tempo, 70% dos hospitais informam que não houve aumento no agendamento de cirurgias eletivas.

 

Variante Delta

Na pergunta sobre se o hospital está testando para a variante Delta, 91% responderam que não estão realizando este teste e 9% que sim.

 

*O SindHosp é o maior e mais antigo (1938) sindicato patronal de saúde da América Latina, representando 55 mil serviços de saúde privados e realizando negociações com 50 sindicatos de trabalhadores.

 

Artigos Relacionados...

Curta nossa página

Siga nas mídias sociais

Mais recentes

Receba conteúdo exclusivo

Assine nossa newsletter

Prometemos nunca enviar spam.

plugins premium WordPress
Rolar para cima