Primeiro caso de coronavírus confirmado em São Paulo

O caso estava sendo investigado pelo Ministério da Saúde, em conjunto com as secretarias estadual e municipal de São Pa

Compartilhar artigo

O caso estava sendo investigado pelo Ministério da Saúde, em conjunto com as secretarias estadual e municipal de São Paulo.

O Ministério da Saúde confirmou, no dia 26 de fevereiro de 2020, o primeiro caso de coronavírus em São Paulo. O homem de 61 anos deu entrada no Hospital Israelita Albert Einstein, no dia 25 de fevereiro, com histórico de viagem para Itália, região da Lombardia. O Ministério da Saúde, em conjunto com as secretarias de saúde estadual (SES) e municipal (SMS) de São Paulo, investigava o caso desde então. A SES/SP e SMS/SP estão realizando a identificação dos contatos no domicílio, hospital e voo, com apoio da Anvisa, junto à companhia aérea.

O Ministério da saúde informou que todas as ações e medidas seguidas estão de acordo com os protocolos do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS) e, diariamente, atualizações são informadas em coletivas e boletins epidemiológicos. “Esse alerta é importante para os hospitais, clínicas e demais estabelecimentos da saúde, pois quando os prestadores de serviços da saúde orientam seus colaboradores, automaticamente ajudam a proteger a população, pois esses funcionários estarão atentos e replicando conhecimento. Por isso a FEHOESP e o SINDHOSP estão acompanhando todas as notícias e monitorando a situação de perto, para que seus associados e representados possam ter o máximo de informações possíveis”, declara o diretor da FEHOESP, Luiz Fernando Ferrari Neto.

Para mais informações, acesse www.saude.gov.br/coronavirus. Veja também como os estabelecimentos de saúde devem agir. Acesse o último Boletim Epidemiológico divulgado pelo Ministério da saúde.

Para evitar contaminação, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas. Ferrari Neto aponta que é fundamental que os estabelecimentos de saúde não deixem de fazer a notificação compulsória aos órgãos de saúde.

 

ATUALIZAÇÃO DE CASOS SUSPEITOS

Até o dia 26 de fevereiro, 20 casos suspeitos de infecção pelo coronavírus são monitorados pelo Ministério da Saúde em sete estados do país (PB, PE, ES, MG, RJ, SP e SC). O Brasil registrou o primeiro caso de coronavírus, em São Paulo. Ao todo, outros 59 casos suspeitos já haviam sido descartados após exames laboratoriais apresentarem resultados negativos para o coronavírus.

Para manter a população informada a respeito do coronavírus, o Ministério da Saúde atualiza, diariamente, os dados na Plataforma IVIS, com números de casos descartados e suspeitos, além das definições desses casos e eventuais mudanças que ocorrerem em relação à situação epidemiológica.

Com algumas medidas simples, é possível prevenir contra o coronavírus. 

 

O Ministério da Saúde instalou o Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública para o novo Coronavírus (COE-COVID-19) para preparar a rede pública de saúde para o atendimento de possíveis casos no Brasil.

A sua estruturação permite a análise de dados e de informações para subsidiar a tomada de decisão dos gestores e técnicos, na definição de estratégias e ações adequadas e oportunas para o enfrentamento de emergências em saúde pública.

A ativação desta estratégia está prevista no Plano Nacional de Resposta às Emergências em Saúde Pública do Ministério da Saúde. Para acessar, clique aqui

 

FONTE: da redação com informações do Ministério da Saúde

Artigos Relacionados...

Curta nossa página

Siga nas mídias sociais

Mais recentes

Receba conteúdo exclusivo

Assine nossa newsletter

Prometemos nunca enviar spam.

plugins premium WordPress
Rolar para cima