Saúde é tributada em até 48% no Brasil, afirma Ruy Baumer em entrevista ao Podcast FEHOESP

Diretor do ComSaúde, da FIESP, abordou a falta de equipamentos médicos durante a pandemia de Covid-19

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

A pandemia de Coronavírus expôs a fragilidade do Brasil em fornecer suprimentos como EPIs, respiradores e medicamentos nos hospitais que prestam atendimento aos doentes. 

Entrevistado pelo Podcast FEHOESP, Ruy Baumer, presidente da Baumer S/A e Diretor Titular do Comitê da Cadeia Produtiva da Saúde e Biotecnologia (ComSaúde) da FIESP, afirmou que a burocracia e os altos tributos são os principais problemas encontrados para que o país possa produzir os equipamentos necessários.

"EPI é um material de uso descartável e o custo de produção no Brasil é extremamente caro, ao contrário da China, por exemplo, onde fomos buscar uma solução. Somos altamente taxados e tributados em nosso país, muitas vezes em até 48%, o que não faz o menor sentido pois é o Governo taxando o que ele mesmo vai pagar. É um contrassenso que não existe na maior parte do mundo".

Ouça a íntegra da mais nova edição do Podcast FEHOESP AQUI. 

O próximo Podcast FEHOESP trará a segunda parte da entrevista com o presidente do ComSaúde, Ruy Baumer.

 

Sua empresa pode ser patrocinadora dos podcasts FEHOESP. Una sua marca ao conhecimento e representatividade da Federação e seus seis sindicatos filiados.

Quer saber mais? Clique aqui 

Outras postagens

Rolar para cima