SINDHOSP e FEHOESP acompanham entrega de manifesto contra aumento de PIS e Cofins

Encontro foi em Brasília, com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha

Compartilhar artigo

Na tarde de quarta-feira, 23/9, empresários representantes do segmento de serviços estiveram em Brasília para entregar Manifesto contra o contra a proposta do governo que altera a cobrança do PIS-Cofins. O encontro se deu com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). 
 
O gestor do Instituto de Ensino e Pesquisa na Área da Saúde (IEPAS), Marcelo Gratão, esteve na reunião, representando SINDHOSP e IEPAS. 
 
Atualmente, a soma das alíquotas vai de 3,65% a 9,25%. Pela proposta em estudo no governo, setores como construção civil e serviços migrariam para a alíquota maior, de 9,25%, e haveria um sistema de compensação. Mas os empresários dizem que nesses setores, em que a mão de obra é a principal despesa, não haveria compensação, como a que existe na indústria. O Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação calcula que a mudança aumentaria a carga tributária de 1,5 milhão de empresas e geraria arrecadação extra de R$ 50 bilhões para o governo.
 
“Essa penalidade, se for aprovada, vai gerar no setor de prestação de serviço uma calamidade pública, porque a competitividade já está difícil sobreviver com a carga tributária de hoje”, afirmou José Maria Alcazar, vice-presidente da Associação Comercial de SP.
 
O presidente da Câmara lembra que o mesmo argumento foi usado há 12 anos, no início do governo Lula. “Todas as duas etapas têm sempre aumento de carga tributária embutida no processo. É esse aumento que a gente tem que combater”, disse deputado Eduardo Cunha, PMDB-RJ, presidente da Câmara.
 
O presidente do Senado é contra qualquer mudança que leve a aumento de impostos. “A reforma do PIS-Cofins, ela precisa ser feita para melhorar os impostos, mas ela tem que guardar a neutralidade, ela não pode ser feita pensando em aumentar arrecadação", afirmou o senador Renan Calheiros, PMDB-AL, presidente do Senado.
 
Juntas, as empresas do setor de serviços empregam mais de 20 milhões de pessoas.

Artigos Relacionados...

Curta nossa página

Siga nas mídias sociais

Mais recentes

Receba conteúdo exclusivo

Assine nossa newsletter

Prometemos nunca enviar spam.

Rolar para cima