Josiane Mota

clube de benefícios saúde

SindClub — Descontos exclusivos em diversas empresas parceiras

O SindClub é o Clube de Benefícios do SindHosp, uma novidade do sindicato que visa oferecer produtos e serviços de qualidade às mais de 50 mil empresas representadas em todo o estado de São Paulo. 

Para isso, o SindHosp realiza parcerias com grandes marcas, trazendo preços e melhores condições, em relação ao mercado, nas categorias Compras, Educação, Saúde & Bem-estar, Serviços e Tecnologia. 

O contribuinte tem acesso a diversos benefícios, gerando assim economia para seu negócio.

Conheça os parceiros do SindClub e os benefícios disponíveis

O portal do clube já está ativo e contém uma lista de empresas parceiras. Confira as principais vantagens e benefícios disponíveis, aqui.

Compras 

Sodexo – Taxa zero para cartões e mais

Keep Care – Descontos em equipamentos médicos

Educação

Hospitalar by Informa Markets – Cursos e Webinars

MedPortal – Cursos gratuitos e/ ou com desconto em plataforma própria

Saúde & Bem-estar

Qualicorp – Descontos em Planos de Saúde e Odonto

Pró-Corpo – 100% Off em Peeling e Descontos em pacotes

Serviços

We Can br – Descontos em Recrutamento & Seleção

JVS – Taxas especiais para Empréstimos

Tecnologia

Vip Rede – Desconto em Antivírus e produtos relacionados a Cyber Segurança

Expectativas

“Com o clube de benefícios, o SindHosp gera ainda mais valor e fortalece o senso de pertencimento para o associado e contribuinte, além de promover o relacionamento entre os players do setor e se tornar um agente de conexão entre as demandas dos representados e as ofertas do mercado”, afirma Daniel Machado, diretor de Operações do SindHosp.

Benefícios exclusivos para associados

Associados SindHosp têm muito mais vantagens no Clube! Uma das premissas para que um prestador anuncie produtos ou serviços no SindClub é praticar uma condição comercial diferenciada para os associados e contribuintes, seja no valor final ou disponibilizando um produto ou serviço exclusivo. 

“Temos diversas empresas parceiras no SindClub, que oferecem desde benefícios educacionais, até cuidados com a pele gratuitos”, enfatiza Leandro Antunes, coordenador de Parcerias Estratégicas do SindHosp.

Como ser beneficiado

Para fazer parte do clube de benefícios do SindHosp, basta preencher o formulário de adesão, clicando aqui.

O passo a passo é simples e intuitivo:

  • Acesse nossa loja de benefícios;
  • Selecione os filtros de acordo com categorias ou empresas;
  • Escolha o benefício e preencha seus dados;
  • Ao solicitar, aguarde a análise interna do time SindHosp, que entrará em contato para formalizar o pedido.

Como ser parceiro e oferecer benefícios

Quer ser parceiro do Sindicato nesse projeto e ter sua marca divulgada para cerca de 51 mil CNPJs representados pelo SindHosp? Acesse aqui e faça o seu cadastro, no campo destinado a empresários.

dados da saúde

SindInfo — Dados do setor da saúde e informações de qualidade

O SindInfo integra a nova mandala de produtos do SindHosp e tem como principal objetivo oferecer um robusto e crescente conjunto de dados do setor da saúde e, com isso, se tornar referência para consulta e benchmarking para os estabelecimentos privados paulistas.

Atualmente, o SindInfo já é responsável pelas pesquisas realizadas junto à base representada pelo SindHosp, como os 30 levantamentos que mapearam os problemas enfrentados pelos hospitais para prestar assistência à população durante a pandemia, assim como o estudo mais recente, sobre o aumento dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) nos serviços de urgência e internação.

Em maio passado, o SindInfo também lançou o Mapa do Acesso da Saúde de São Paulo, pesquisa de opinião pública que teve como objetivo entender como se dá o acesso da população paulista ao sistema, o que as pessoas entendem como “saúde”, se fazem promoção ou prevenção e como avaliam a assistência recebida. O levantamento foi realizado de forma on-line e ouviu 2.013 paulistas acima de 18 anos, pertencentes a todas as classes sociais e residentes em todo o Estado. Clique aqui e faça download da pesquisa.

Os representados passarão, em breve, a ter acesso a Boletins Setoriais, com dados sobre a infraestrutura de clínicas, laboratórios e hospitais no Brasil e no Estado de São Paulo.

“Monitoramos dados, analisamos informações e transmitimos esse conteúdo à categoria. O mais importante nesse processo é a padronização e a qualificação desses dados”, afirma Vanessa Tamara, gerente do Núcleo de Inteligência e Conteúdo (NIC), responsável pelo SindInfo.

As iniciativas do SindInfo objetivam potencializar a produção de conteúdo e conhecimento confiáveis para apoiar os prestadores privados de serviços de saúde e seus parceiros de negócios na busca constante por sustentabilidade, melhoria assistencial para qualidade e segurança do paciente, otimização na utilização de recursos e fortalecimento econômico.

Acreditamos que isso será um diferencial importante para todo o setor representado”, Larissa Eloi, CEO do SindHosp.

eventos da saúde

SindConecta — Unindo profissionais, empresas e organizações

Seminários, congressos, palestras, webinares, workshops e outros eventos promovidos pelo SindHosp estão agrupados sob o guarda-chuva do SindConecta.

“Além de reunir todos os eventos do Sindicato, o objetivo desse produto é o de promover conexões entre pessoas, organizações e empresas parceiras. Acreditamos que isso gera network mais assertivo, com mais colaboração e troca”, explica a gerente de Relacionamento do SindHosp, Cleide Melloni.

O SindConecta tem amplas possibilidades de crescimento e deve aumentar gradativamente o número de eventos promovidos. Veja os produtos que integram o SindConecta atualmente:

Diálogos da Saúde – eventos híbridos (presenciais e on-line) que contam com a participação do presidente do Sindicato, Francisco Balestrin, e de expoentes do setor nas discussões.

Papo da Saúde – videocast que traz convidados que integram a cadeia econômica e produtiva da saúde para um bate-papo.

Workshop da Saúde – encontros presenciais, on-line ou híbridos que abordam temas técnicos, com a participação de palestrantes renomados e especializados em suas áreas de atuação.

Todos os produtos do SindConecta citados acima estão disponíveis no portal do SindHosp e no canal do YouTube do Sindicato.

Acompanhe os meios de comunicação do SindHosp e fique atento aos próximos eventos do SindConecta!

educação em saúde

SindEduca — Capacitação, treinamento e conteúdo para os profissionais da saúde

Está dada a largada para a temporada de cursos no SindHosp! Com o lançamento do SindEduca, uma plataforma de educação online, o Sindicato amplia a oferta de conteúdos e retoma as capacitações para os profissionais da saúde. 

“Acreditamos que colaboradores capacitados se relacionam de forma mais assertiva, se sentem valorizados e motivados. Em consequência, a empresa terá um ambiente harmônico, uma cultura organizacional fortalecida e conseguirá reter os seus talentos”, comenta Monica Ozeki, gerente de Eventos e Educação do SindHosp.

O projeto é uma realização em parceria com a Medportal, expert no gerenciamento de projetos de educação continuada digital, em plataforma EAD e conteúdo digital para instituições de saúde. 

Conheça a plataforma de educação

Muito esperado, tanto pela equipe SindHosp quanto pela base representada, o SindEduca já comporta 30 cursos gratuitos e com certificado, entre os principais temas: segurança do paciente, gestão em saúde, liderança e gestão de pessoas, gestão de RH e atendimento ao cliente.

Faça um tour pela plataforma! Para acessar os conteúdos, basta entrar no portal, selecionar o curso/conteúdo de sua preferência e efetuar inscrição, clique aqui. 

Em caso de dificuldades de acesso ou dúvidas, o SindHosp disponibiliza um canal exclusivo, acesse aqui e envie sua mensagem.

Expectativas

Com a chegada do SindEduca, o SindHosp assume um papel de facilitador da educação em saúde, oferecendo conteúdo de qualidade para os representados, com cursos e temas que fazem parte do dia a dia das empresas, direcionados tanto para os gestores das instituições quanto para os colaboradores.

“O SindHosp acredita que a educação é a chave para a transformação de pessoas e organizações e é com essa visão que lançamos o SindEduca, um portal de educação que objetiva proporcionar conteúdos educacionais aos profissionais da saúde, algo que já fizemos aqui”, conta a coordenadora de Educação do SindHosp, Crislane Saldanha.

Em breve…

Continue acompanhando as atualizações do SindHosp na aba notícias e nos demais canais digitais, em breve o Sindicato lançará conteúdos exclusivos para os associados e contribuintes, que também terão descontos nos conteúdos pagos.

produtos sindhosp

O SindHosp está atuando para sua empresa poder crescer

Para atender às demandas do setor, atuando como um facilitador e entregando melhores e mais soluções aos associados, o SindHosp lançou verticais de produtos e serviços, com foco em Educação, Informação e Dados, Hub de Negócios, Eventos Corporativos e outros projetos inovadores.

“Fortalecer a visão associativa no Sindicato aproxima e cria oportunidades de desenvolvimento de pessoas e novos negócios. Os produtos lançados trazem para as empresas representadas capacitação, negócios inovadores, networking e a possibilidade de compartilhamento do conhecimento.

Todos estão convidados para fazer parte deste movimento positivo, que beneficia mais de 51 mil estabelecimentos de saúde paulistas” — Larissa Eloi, CEO do SindHosp.

O que está aí:

O Sindicato dispõe de 5 produtos:

SindEduca — Plataforma de conteúdos online para os profissionais da saúde

SindClub — Clube de benefícios com descontos exclusivos e em diversas empresas parceiras

SindInfo — Dados e informações em saúde

SindMais — Projetos personalizados

SindConecta — Eventos, conexão e networking

Continue acompanhando as publicações e detalhes de cada um deles nos canais digitais do SindHosp.

cct bauru

Firmada CCT Auxiliares e Técnicos de Enfermagem e Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Bauru e Região

Informamos que o SindHosp firmou Convenção Coletiva de Trabalho com o SINDICATO DOS AUXILIARES E TÉCNICOS DE ENFERMAGEM E EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE DE BAURU E REGIÃO, com vigência de 1º de março de 2023 a 31 de março de 2024.

Acesse a Convenção Coletiva de Trabalho, clicando aqui!

São Paulo, 30 de junho de 2023

Francisco Roberto Balestrin de Andrade

Presidente

pesquisa sindhosp srag

77% dos hospitais privados paulistas registram aumento de internações de crianças com SRAG, aponta pesquisa do SindHosp

A chegada do inverno (21/6 a 23/9) historicamente traz as doenças respiratórias típicas da estação. Isso acontece porque o clima frio e seco, baixa umidade do ar, escassez de chuvas e a piora da poluição aumentam a presença de bactérias e vírus.

Nesse cenário, para mapear internações de pacientes com Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG) e outras prevalentes no Estado de São Paulo, o SindHosp aplicou nova pesquisa junto à sua base de representação. 

O levantamento foi realizado no período de 12 a 22 de junho e ouviu 79 hospitais privados paulistas, sendo 26 da Capital e 53 do Interior. 77% destes respondentes informam que houve aumento de internação de crianças com SRAG  nos últimos 15 dias.

Dados

Em relação ao crescimento de internações clínicas de crianças com a síndrome respiratória, 75% dos hospitais relatam aumento entre 21% e 39% nos últimos 15 dias e 89% informam que o tempo médio de permanência em leito clínico é de 5 a 10 dias.

A internação pediátrica em leitos de UTI, porém, teve crescimento abaixo dos 20% em 82% das unidades de saúde, com tempo médio de internação de 5 a 10 dias em 92% dos hospitais pesquisados.

Letalidade da SRAG em crianças

Perguntados sobre o índice de letalidade da doença em crianças, 98% dos hospitais informam letalidade abaixo de 10%. E o uso de ventilação mecânica é pequeno, abaixo de 10% em 96% dos hospitais.

Aumento de atendimentos no serviço de urgência?

Sim. 71% dos hospitais registraram também aumento de pacientes infantis e adultos nos serviços de urgência/emergência nos últimos 15 dias por SRAG.

Adultos também são infectados pela SRAG

70% dos hospitais informam que houve aumento de internações de adultos por SRAG e metade deles relatam que o crescimento das internações clínicas ficou abaixo de 20%. 44% informam aumento entre 21% a 39%, com tempo médio de internação de 5 a 10 dias, assim como o das crianças.

Já as internações em UTI indicam números menores: 87% dos hospitais registram crescimento das internações em índices abaixo de 20%, com tempo médio de internação também entre 5 a 10 dias, em 90% dos hospitais.

Letalidade da SRAG em adultos

A taxa de letalidade em adultos, para 96% dos hospitais, está abaixo de 10% e o uso de ventilador mecânico menor do que isso, em 87% dos estabelecimentos de saúde.

Doenças prevalentes

A pesquisa também perguntou quais doenças vêm prevalecendo nas internações hospitalares, além da SRAG. Como resposta, 34% dos estabelecimentos de saúde disseram que são outras doenças respiratórias; 30% registram doenças crônicas e 27% viroses em geral. 

Para visualizar todos os dados coletados no levantamento, acesse aqui.

Como dito no início desta matéria, o aumento de doenças respiratórias é comum no inverno. Acompanhe a evolução da SRAG durante os anos, em levantamento do Centro de Vigilância Epidemiológica de São Paulo. Clique aqui.

O SindHosp recomenda que a população procure um médico ou unidade de pronto atendimento para uma avaliação, em caso de febre persistente ou problemas respiratórios. E reforça que a melhor prevenção contra a SRAG e outras doenças respiratórias é manter a carteira de vacinação atualizada, principalmente para as doses contra a Covid-19 e a gripe. Também é importante cuidar para que os ambientes fiquem arejados e optar por hábitos saudáveis de vida, como alimentação nutritiva, prática de esportes, beber bastante água e boas noites de sono.

Bem-estar dos Profissionais da Saúde

Bem-estar dos profissionais da linha de frente é uma questão de saúde pública, destaca relatório

O Relatório final Diálogos sobre Políticas para Resiliência e Bem-estar dos Profissionais da Saúde, de iniciativa do Synergos Brasil e da FGV-saúde, com o apoio da Johnson & Johnson, é o início de um diálogo multissetorial sobre o tema.

A pandemia tornou ainda mais evidente que os profissionais da linha de frente precisam de cuidados e que é preciso um esforço multissetorial para identificar problemas e buscar soluções. Esse projeto nasceu da união de um grupo multissetorial e representativo do setor saúde como representantes dos profissionais da saúde, instituições de governo, sociedade civil, iniciativa privada e organismos internacionais, em um total de 22 organizações.

Foi realizado um processo de construção coletiva de recomendações de medidas para promoção de melhores condições de trabalho para os profissionais de saúde dos setores público e suplementar.

A pauta está permeando discussões internacionais na OMS – Organização Mundial da Saúde e no IHI – Institute for Healthcare Improvement, pois antes todas as análises eram centradas apenas na experiência do paciente. Hoje a resiliência e o bem-estar dos profissionais estão sendo incluídos no conceito de qualidade da saúde. São 3.052.708 trabalhadores em saúde no Brasil, sendo 75% mulheres, segundo dados do Ministério da Saúde.

“Esperamos que outros atores se somem, avançando e aprofundando as recomendações aqui apresentadas”, destaca o professor doutor Alberto Ogata, pesquisador da FGVsaúde.

O documento também será amplamente divulgado e distribuído a todas as entidades e representações do setor saúde, sindicatos empresariais e de trabalhadores, universidades, governos nos três níveis de poder, assembleias legislativas, câmaras municipais e congresso nacional.

Mudança sistêmica

Promover a resiliência e o bem-estar dos profissionais da linha de frente da saúde é um desafio que exige mudanças na estrutura do sistema de saúde brasileiro, que é altamente complexo e abrangente. Mudanças nas relações entre os diversos atores que compõem este sistema e mudanças na visão que a sociedade possui sobre a importância destes profissionais para a qualidade da saúde oferecida à população.

Para dar conta de toda esta complexidade, o documento usou a abordagem da mudança sistêmica para estruturar os diálogos e reflexões dos participantes.

Recomendações

O grupo pretende que o Relatório inspire todos os envolvidos na cadeia da saúde. “É um documento convocador, um convite para que todos tomem conhecimento dele e usem como base para ampliar debates e procurar soluções”, destaca o professor Ogata.
O grupo ressaltou a importância das políticas organizacionais de gestão de pessoas, destacando incluir a saúde e qualidade de vida dos trabalhadores na dimensão S dos modelos de ESG (sigla em inglês para governança ambiental, social e corporativa).

Também recomenda implementar políticas para o tratamento de denúncias e que visem a eliminação do assédio moral e sexual nas instituições de saúde.

Entre as práticas do setor, propõe incluir nas avaliações dos serviços de saúde, inclusive em processos de certificação e acreditação, métricas envolvendo saúde, segurança e bem-estar dos trabalhadores da saúde, principalmente da linha de frente. Lembrando que essas avaliações hoje encontram-se centradas na experiência do paciente.

O documento sugere também implementar ou revisar sistemas de ouvidoria egestão de crise com garantia de proteção e sigilo, enfatizando as melhores práticas de compliance e a padronização e disseminação de boas práticas de liderança. No entanto, o Relatório ressalva que os resultados esperados somente serão atingidos se ocorrer uma ação intersetorial, evitando a fragmentação das iniciativas com ações isoladas e garantindo a participação efetiva dos trabalhadores.

Para a professora Gabriela Lotta, pesquisadora da FGV-EAESP, as organizações que prestam serviços na área da saúde precisam estar preparadas para prevenir os riscos ocupacionais e promover um ambiente de trabalho saudável aos trabalhadores. “Sem isso, intervenções de apoio psicológico terão baixos resultados, pois não tratam a raiz do problema. Todo o sistema de saúde precisa estar unido para a valorização de seus profissionais. Melhorar as condições de trabalho do profissional de saúde é também uma questão de saúde pública”, destaca.


O relatório está disponível para download aqui.

síndrome respiratória

Lançada a nova pesquisa SindHosp sobre o panorama de pacientes com síndrome respiratória aguda grave (SRAG)

Para acompanhar as demandas que têm surgido no setor saúde, nos últimos 15 dias, relacionadas principalmente às internações de pacientes com síndrome respiratória aguda grave (SRAG), o SindHosp está lançando nova pesquisa junto à base representativa.

Sua colaboração nesta pesquisa é um ato de cidadania e agradecemos por isso!

Clique para responder (link disponível para respostas até 22/06/2023).

Ao participar deste levantamento você contribui para a tomada de decisões mais assertivas para todo o sistema da saúde.

Scroll to Top